Escola Bike Anjo ensina pessoas a andar de bicicleta

Por 14:04

As aulas são gratuitas e acontecem em todo primeiro domingo do mês, em frente à sede do Projeto Tamar, em Vitória. Além disso, o projeto realiza diversas outras ações. Confira!

Diante das problemáticas relacionadas à mobilidade urbana, a bicicleta tem sido a alternativa escolhida por muitas pessoas. Além de ser um meio de transporte eficaz, o veículo traz benefícios à saúde e não polui o meio ambiente. Mas, e quem ainda não sabe andar de bicicleta, como faz para aderir a esse estilo de vida? Em Vitória, a solução é simples para os que desejam aprender: basta procurar um Bike Anjo.

Desenvolvido por ciclistas voluntários e apaixonados pelo meio de transporte, o Bike Anjo é uma rede que se dedica a ajudar pessoas, de qualquer idade, que queiram aprender a andar de bicicleta com mais segurança e confiança. Atualmente, existem mais de mil Bike Anjos presentes em cerca de 200 cidades do Brasil e em países como Estados Unidos, Portugal e Austrália.

Bike Anjo Vitória
Na capital capixaba, o projeto é recente e completou seu primeiro ano de atuação neste mês de novembro. “O Bike Anjo veio pra Vitória num evento na antiga Praça do Cauê, atual Praça do Ciclista, chamado ‘Você Praça, Eu Acho Graça’. A gente queria muito que outras pessoas pudessem participar de bicicleta e a ideia foi trazer as pessoas da Praia da Camburi para a praça, fazendo um Bike Anjo com elas, ou seja, guiando e ajudando a se deslocar com segurança até lá”, conta Detinha Son, especialista em Gestão e Educação Ambiental e uma das instrutoras dessa iniciativa.

Segundo ela, o projeto atua em três vertentes diferentes. A primeira é ensinar quem não sabe a andar de bicicleta, por meio da Escola Bike Anjo (EBA).  As aulas são gratuitas e acontecem em todo primeiro domingo do mês, das 9 às 12 horas, em frente à sede do Projeto Tamar, na Praça do Papa, em Vitória. As pessoas são atendidas por ordem de chegada ao local.

A segunda vertente é ensinar sobre deslocamento na cidade. Nesse caso, os Bike Anjos dão assistência a quem já sabe andar de bicicleta, porém tem medo ou se sente inseguro de se deslocar pelas ruas. “Então, você aciona o Bike Anjo e ele vai te conduzir em segurança até o seu local de destino. E vai fazer isso quantas vezes forem necessárias até você conseguir fazer sozinho o trajeto”, explica. E a terceira vertente são as oficinas de mecânica de bicicleta, ministradas, preferencialmente, para jovens e adolescentes de bairros periféricos. Após a aula, as peças e as bicicletas são doadas aos participantes.

Aprendendo a andar de bicicleta
“Tem gente no projeto que nos conta sua história pessoal, das dificuldades que ela tem, às vezes financeira, de não ter podido adquirir uma bicicleta. Às vezes, o pai proibiu de andar. Às vezes, tomou um tombo e ficou com um trauma. E quando essa pessoa consegue, é extremamente gratificante. [...] Só quem vai ao projeto vê a alegria das pessoas que conseguem vencer um trauma, conseguem vencer uma barreira de aprender andar de bicicleta. É maravilhoso”, conta Detinha.

Em um ano, a Escola Bike Anjo Vitória já atendeu, aproximadamente, 150 pessoas de todas as idades. De acordo com Detinha, muitos que chegaram sem saber como se equilibrar em cima da bicicleta, hoje já conseguem atuar como Bike Anjos. “Tem aluno Bike Anjo, tem aluno que vai lá pra ajudar a organizar, que leva lanchinho. Tem aluno até que tá fazendo Triatlo, pessoas que não sabiam pedalar”, diz.

Além de todas essas atividades, o Bike Anjo Vitória tem participado de diversas manifestações culturais, seja dando oficinas, ensinando a pedalar ou, também, discutindo a própria mobilidade urbana. “O Bike Anjo vai muito além de ensinar a pessoa a andar de bicicleta. A gente ensina cidadania, regras do trânsito, respeito ao ciclista, respeito ao pedestre, comportamento de ciclista no trânsito. E vira uma grande roda de amigos, um grande bate papo”, conta Detinha.

Apaixonada pelo veículo, Detinha acredita que quem anda de bicicleta é mais feliz. Para ela, andar de “bike” é como voar em um tapete mágico. “A impressão que eu tenho quando estou pedalando é que estou voando, andando num tapete mágico, num tapete voador”, afirma.

Quer conhecer o projeto e, quem sabe, perder a vergonha de tentar aprender a andar de bicicleta? Não perca o próximo encontro na Praça do Papa, no dia 7 de dezembro, a partir das 9h.

0 comentários